Notícia

Projeto

sábado, 08 de julho de 2017
ACIAB adere ao projeto de implantação de câmeras de segurança no Município

A ACIAB (Associação Comercial e Empresarial de Bandeirantes) aderiu ao projeto de implantação de câmeras de segurança no Município durante reunião realizada na noite desta quinta-feira (06) no Centro Cultural Takiko Hassegawa. Mesmo com toda a divulgação e convite da entidade para participação de associados para a reunião, o número filiados foi inexpressivo. Contudo, membros da diretoria da ACIAB, ao final das explanações do prefeito municipal Lino Martins, vice-prefeito Luiz Carmelo Comegno, e vice-presidente do Conseg e chefe da 22ª Ciretran, Nelson Santos, confirmaram parceria para o projeto do sistema de monitoramento por câmeras de segurança e dos estudos que estão sendo realizados pelo poder público para a instalação da zona azul.

Durante a reunião, o vice-presidente do Conseg, Nelson Santos, explicou sobre o projeto do monitoramento por câmeras e que o setor comercial será o mais beneficiado pelo sistema, portanto, “é fundamental o apoio e parceria dos comerciantes, pois a viabilidade do projeto necessita de apenas um percentual financeiro e que, diluído entre os associados, se torna um valor muito baixo mensalmente, mas de um ganho extremo ao coibir a intenção e ação de marginais, protegendo seu comércio, a sua vida e de seus funcionários”, destacou.

A aquisição das câmeras, no valor aproximado de R$ 200 mil, deverá ser via recursos de ação indenizatória promovida pelo Ministério Público do Trabalho, que está em fase conclusiva para direcionamento da última parcela. “Ou seja, temos que nos apressar e entregar o projeto das câmeras, que já está pronto, para que este seja avaliado e aprovado pela Justiça do Trabalho. Bandeirantes não pode perder esta oportunidade de conquistar tal recurso”, ressaltou o prefeito e enfatizou que, a municipalidade estará subsidiando a maior parte das custas mensais de manutenção do sistema de monitoramento, o qual a ACIAB será corresponsável também. A previsão para a despesa de manutenção ficará em torno de R$ 8 mil, sendo que o Município deverá arcar com o valor de cerca de R$ 6,5 mil e a ACIAB com R$ 1,5 mil para ser diluído entre os associados da entidade. “O Conseg está com o projeto concluído, apenas aguardando a confirmação dos comerciantes para esta importante parceria”, afirmou.

Após indagações, comentários e posicionamentos dos comerciantes presentes, a presidente da ACIAB, Patrícia Franco, confirmou a parceria para o projeto.

ZONA AZUL – A abertura de diálogo sobre a implantação da zona azul foi iniciada também na noite desta quinta-feira. O prefeito Lino Martins conduziu o tema, que vem sendo abordado há anos anteriores desde a sua primeira gestão, onde trata a organização e melhoria do trânsito, especificamente, de vagas de estacionamentos.

Devido ao crescente número de veículos no Município, a Prefeitura de Bandeirantes está trabalhando e realizando estudos para a viabilidade de implantação por meio de concessão de serviço. De acordo com o chefe do Poder Executivo, um levantamento prévio foi realizado e foi apontado que a instalação da zona azul trará melhorias quanto a rotatividade do uso das vagas em vias públicas e ainda vai propiciar arrecadação de tributos para a municipalidade. “Objetivo principal é de garantir a rotatividade das vagas, mas ao mesmo tempo proporcionar arrecadação para os cofres municipais”, destacou o prefeito. Segundo Lino Martins, através da concessão do serviço de estacionamento, o valor seria de R$ 0,50 por meia hora e R$ 1 a hora com limitada permanência. A medida visa a organização do trânsito e evita o uso desordenado das vias públicas como meros espaços de estacionamento de veículos particulares (muitas vezes do proprietário de um comércio e de seus funcionários), já que a função do sistema viário é de circulação e fluidez do trânsito, e não para guarda de veículos.

Conforme explicou o prefeito, dentro do projeto da zona azul está estipulado ainda que a empresa vencedora da concessão deverá prover serviços como de pane seca, borracharia e ainda a manutenção de pintura da sinalização vertical. “Cidades que implantaram a zona azul, o sistema de rotatividade está em funcionamento e não houve prejuízo para o comércio, e sim ganhos. A intenção é sempre buscar melhorar e beneficiar a coletividade”, argumentou.

A reunião também contou com a presença dos vereadores Jaelson Matta e Gustavo Onofre.

Fonte: FNP/Assessoria